Páginas

sábado, 18 de junho de 2011

People change and promises are broken!

Foto: 'Encontrada por aí'
    

   Não é lembrar apenas nos maus momentos a falta que tão bem sabemos que eles nos fazem, até porque as palmas deles tinham sempre outro sabor. Mas tendo em conta que festejar é sempre mais fácil do que consolar, é difícil não sentir aquele aperto sempre que o mundo vira ao contrário. Só eles entenderiam não é, meu bem? Bastava uma chamada e eles estavam à nossa porta, com aquele sorriso despreocupado e aquele humor sarcástico que derretiam qualquer gargalhada. O mundo continuava ao contrário mas eles até davam o pino se isso nos fizesse sentir que afinal estava tudo no lugar certo. E nós acabávamos por acreditar que sim. Iriam deixar-nos falar tudo o que nos atormentava e chamar-nos-iam à razão, continuando depois com a conversa sem nexo que só a gente sabia ter. Falar de nada era tão simples com eles. Mas acabou, foram eles que nos viraram as costas e a melhor amizade talvez não fosse tão boa assim. Ou foi, mas a termo certo. É f*****, dá vontade de ligar e perguntar porque agiram assim se até contra eles foi, ou então só pedir um abraço. A saudade quando aperta faz-nos perder o juízo.
   Mas foram eles amor, foram eles que saíram e nem a porta aberta deixaram. E se já foram tantas as tentativas de a abrir agora só resta deitar a chave fora. Gostava de te dizer que daqui a um ano ou dois estava tudo curado, mas o tempo não cura. Na melhor das hipóteses, apazigua e a gente já agradece por isso. Parece triste mas depois de arrumar tudo num cantinho vamos perceber que a vida não deixa de ser colorida. :)

   A nós, que nunca deixamos de ser leais. A ti, que sei que vais cá passar.  

With love,

C.

1 comentário: